terça-feira, 19 de junho de 2012

Limites

Quando percebo, estou lá
Meu limite é baixo...
Mas amedronta, me anseia

Tenho sensações que não gosto
Pertubações, receios, tristezas

Há quem adore desafiá-lo
E admiro quem o faz
O ser humano está aqui para isto
Porque é assim que o mundo avança.


Mas não tem jeito, sou tolerante com meus medos.
Não os desafio, jamais
Eles caem sozinhos, quando desistem de lutar...
Com a minha teimosia...
Com as minhas incertezas...

Nenhum comentário:

APENAS A NOITE

Mundo estranho este, virou tudo de cabeça para baixo. Não conhecemos mais quase ninguém. Máscaras caíram e só restou as cascas, podres...