quarta-feira, 28 de maio de 2014

Para o que se foi

Foi um menino...destes que nunca deixaram de se-lo apesar da idade
Tinha uma alegria e uma ansiedade de viver, de ter
E isto pode te-lo levado mais cedo.

Não teve a oportunidade de descobrir a vantagem de viver simples
De pisar na grama, beber água do rio, ser feliz.
A lua no céu, as estrelas
A noite.
Mas....que noite triste foi aquela!


Quero uma homenagem ao menino.
Está difícil, amava-o muito.
Vi nascer, crescer, gostar de ler gibis
Estudar, passear, construir família.

Era terno, doce,
Preocupado em servir
Em ajudar, mas....

Ninguém estava lá para ajuda-lo
Ninguém segurou sua mão
Nem lhe deu um gibi para ler, enquanto sofria...

Ninguém  ao seu lado
E mostrar que era importante
Mesmo que fosse metade  que era.
Que era amado, querido
Só por existir.

E uma saudade imensa vibrou na vida de quem te conheceu.

Mais que estrela que brilha...um cometa que passou por nós,

Que deixou sua marca em nosso coração, para sempre!



terça-feira, 6 de maio de 2014

Eterna

Quanto tempo dura dez anos?
Muito ? Pouco?

Não sei ......
Mas é muito tempo sem aquele olhar sereno sobre mim..
Aquele olhar que só mãe tem, aquele olhar meigo, meio duro,
 Te empurrando para a frente, porque viver é muito difícil.

Quem ama  protege, mas  também  quer ver voar, ser, acontecer.
Quantos sentimentos  estarão contidos dentro de uma mãe?

A felicidade do seu filho é sua, sua alegria também.
Imagino assim, pois tenho certeza que  mãe nos põe no mundo só para o melhor.

E  a dor do seu  filho, seria como facas transpassando seu coração.
Mas, ela sempre estará forte para dividir esta dor conosco.

Mas, quando não está mais entre nós, a dor é igual a esta que sinto agora.
Que transformo num gesto surreal de oferecer o presente mais belo.
O mais singelo, o mais puro, que contém todo o meu amor, 
Minhas lágrimas, em forma de Saudades.

Outonos

Sempre assim
Saiu para buscar outras histórias para contar
Saiu para respirar outros ares, outras vidas
Mas não encontrou nada ainda..
Só as mesmas coisas de sempre.
Que se repetem como uma eterna roda viva
E  por isso a inspiração estagnou, recusa-se a sair.



Resolveu então  aguardar sua volta do lado escuro
Talvez não demore, talvez sim, estas coisas são imprevisíveis.
A melancolia não permite o retorno.
Enquanto houver dúvidas e sombras
Medos e tristezas
Sentimentos inexplicáveis
Para quem somente saiu para procurar
Novas histórias para contar.