sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ano Novo

Que todos os meus amigos e seguidores do Blog, tenham um ano realmente novo, embora nenhum seja igual, pois há sempre fatos  e datas que marcam, situações que o diferenciam de qualquer outro.

Nossa evolução continua, experiências novas acontecem a todo instante. E ao mudar o nosso calendário gregoriano olharemos com esperança que em algum dia dele aconteça algo que esperamos e desejamos.

Que sejam coisas boas, o melhor que este universo infinito possa nos proporcionar. Que os Deuses e as Deusas, que nossa visão não consegue enxergar, só nossa mente consegue imaginar, estejam ao nosso lado nos dando força e proteção.

Que cada um cumpra o propósito maior de estarmos neste planeta. Ser Feliz e fazer os outros felizes, se não for possível, pelo menos tentar não atrapalhar a caminhada do seu semelhante. Porque cada um sabe sua dor e necessidade. Cada um é um mundo, uma alma procurando somente a Paz. E que ela esteja conosco em todos os momentos de cada dia do ano que se inicia. 
A todos nós: Paz e Luz!

Ela sustenta muitas pessoas.
Muitos não conseguiriam dar um passo sem ela.
ela move, leva para a frente, eleva.

É o que faz muitas pessoas viverem,
Sobreviverem.
Quem há de querer julgar?
É muleta para pessoas que não sabem caminhar sozinhas.
Por caminhos sinuosos, incertos e perigosos.
Porque viver é correr riscos.
E como viver sem a fé para dar forças, para prosseguir?

Viver sem ela é como andar sempre sozinho.
Sem cercas ao lado, sem muros, sem lugar para segurar...
E quando vem a tempestade, você se aninha em si mesmo.
E sente-se tão desprotegido, como se não fosse suportar.

Mas muitos conseguem, passado os primeiros sustos.
Olham ao redor e sentem que são capazes realmente,
De superar, pular os obstáculos, olhar  o mundo e desafiá-lo
A seco, sem apoio, sem muletas.
Lutar e caminhar, só, literalmente só.

Estímulos

Sempre nesta época ele vem.
Bate com força na nossa vontade.
Vontade de mudar, melhorar, progredir, encontrar....

Sempre nesta época ele pressiona.
Porque temos que ser diferentes, como se fosse obrigatório,
Mas não é....a vida continua igual, somos os mesmos, não mudamos.

Na verdade nascemos prontos, caráter definido.
Tudo bem, às vezes o meio têm influência nisto.
Mas, vontades e atitudes fazem parte de nós.
Mais fortes em alguns, ou mais fracos em outros.

Eu nunca me acho igual.
Parece que mudo todo dia.
Todo dia aprendo alguma coisa.
E nesta aprendizagem ,
Acabado mudando idéias, planos...
Mas sei que no fundo, nunca deixarei de ser a mesma pessoa..

Queria mesmo fazer tudo diferente,
Mudanças são sempre bem vindas.
Só que não depende só de querermos
Entra aí nosso caráter, nossa vontade, atitudes.
E nunca sabemos como vamos estar, 
Na hora certa de fazer acontecer.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Libertação


Tempo de libertar tudo que ficou guardado.
Preso em algum lugar de nossa mente ou do nosso coração.
Coisas boas, coisas incômodas ou indiferentes.

Mas que precisa seguir seu caminho,

Em busca de outra estação.


Guardamos muitas coisas, prendemos outras.
O que guardamos nem sempre usamos,
Mas o que prendemos é porque amamos.


E amamos tanto, que não queremos soltar
Queremos sempre ali, ao nosso lado, a nossa vista,
Só que não pode ser assim
Amar é deixar livre, amar é deixar ir.
Mesmo que seja muito longe de nós.

O que guardamos, achando que talvez vamos precisar,
Podem ser pessoas, podem ser coisas, juntamos tudo.
Porque o medo da solidão e da carência vive em nós.

Talvez por algum trauma vivido.
Talvez por uma rejeição enfrentada.
Talvez por alguma  insegurança.
Uma fase difícil de ser superada.

Vamos libertar,
Libertação reflete em nós como luz
Que vai mostrando o essencial que restou
Um espaço, um tempo ou uma saudade,
Um sonho, uma realidade ou uma ilusão.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Queria ser Fada

Acordo e penso no que irei fazer hoje
O tédio toma conta, rotina de sempre
Queria fazer minha mala
E nela guardar minhas dores,sonhos e desejos
Ir embora, mudar a paisagem
Mudar a rotina, mudar minha vida...

Há tantas belezas , eu sei, posso achá-la onde estou
Só que não encontro, preciso ir além, ir longe,
Longe de tudo que me amarra, me sufoca, deprime.

Não sei em que momento perdi as rédeas da minha direção
Procurei onde deixei minha motivação, meus objetivos, não achei
Perdi em algum canto escondido da minha visão
E agora acho que só posso encontrar, se sumir daqui
Esquecer onde deixei minha vontade de lutar.

Queria ser um pássaro para poder voar, minha mala não é tão pesada,
Não há mais muitos sonhos e desejos, só as dores pesam um pouco.
Ir para um lugar, onde só exista leveza, luz e fadas...
E ser uma delas, cuidar do jardim do universo, suas criaturas inocentes
Que só existem para fazer do mundo um lugar mais iluminado.

E lá viver, sem dores, sonhos, desejos....

sábado, 29 de outubro de 2011

Procurando Outros Caminhos

Sempre achei que nossa vida tinha que vir com um roteiro. 
Um roteiro em que já estaríamos cientes de tudo o que iríamos viver.
Parece que seria assim, quando observamos de onde viemos,
um destino predeterminado por todas as condições que herdamos de nossos antepassados.

Mas queremos mais que isto, nunca seguimos as normas, 
E  questionamos o que nos foi passado e resolvermos reescrever nossa história.
E repensamos os valores, as crenças e não concordamos com nada.
Queremos uma história diferente, com final feliz.


Esquecemos que vida só tem um final, que nunca é feliz.
Dependendo do ponto de vista de quem a vive.
E é neste intervalo que entra o nosso roteiro.
Aquele que resolvemos reescrever para nós.
Com novas atitudes, com um novo olhar sobre o mundo.
Não aquelas idéias que nos impuseram
Estas riscamos,  ficaram desatualizadas.
O mundo gira muito rápido, não há  mais muito tempo.
Percebemos isto em tudo e a todo momento.
Temos que levar  daqui o máximo que pudermos em conhecimento e vivência.
O tempo não espera, não podemos ficar parados e aceitar idéias impostas,
Por pessoas de outros tempos e outras épocas.
Só temos que ter referência e adaptarmos tudo a nossa vida atual.
Ainda há tempo, valores antigos não são mais usados.
Embora muitas pessoas  se enganem achando que sim.
E neste novo mundo, com idéias e visões novas de tudo,
Vamos viver, mesmo sabendo que não é fácil.
Rompemos com o passado, pensamos diferente.
E isto nunca é bem aceito, mesmo na sociedade de hoje.
Porque questionamos, porque duvidamos, 
Mas apenas procuramos conhecer um pouco mais de nós,
Do planeta, da Vida....

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Lágrimas e Chuvas....

Lágrimas são como chuvas que o céu derrama.
Por nós, por tudo que há por baixo de suas águas.
Águas que lavam, purificam, assusta, mas liberta.


Como escorrem pelo nossos olhos, 
Lágrimas às vezes não nos deixam ver,
Que ainda há razões para sermos felizes,
São teimosas, neste momento só vemos tristezas.

Há quem derrame lágrimas de alegria, 
Menos comum, mas geralmente são de dor mesmo.
E seu efeito é devastador em nosso emocional.
Fica uma sensação de vazio....de solidão.

E como a chuva que cai, 
Acho que as lágrimas vêm para nos mostrar,
Que águas são sempre bem vindas, 
Porque como fazem no solo, tornando-os fértil,
Mostram a nós, que estaremos mais fortes,
Restaurados e renovados...
Depois das lágrimas, depois das chuvas....

sábado, 15 de outubro de 2011

Pessoas

Pessoas são interessantes.
Algumas conseguem nos fazer melhor
São anjos...
Outras despertam em nós o nosso pior
São demônios...
Sempre queremos ser bons, corretos
Mas tudo depende do meio em que vivemos
Embora  às vezes imagino que em todos os lugares
Em tudo que frequentamos, encontraremos...
Os anjos e os demônios.

Bom seria sermos todos iguais,
Ou pelo menos, não houvesse tantas diferenças
Que nos distanciam, afastam.

E quem terá culpa se é do ser humano
Ter idéias, pensamentos próprios
E quem poderá julgar isso?

Temos que aceitar, os anjos e demônios 
Pois para alguns somos vistos de uma ou outra forma
Ninguém está livre destes julgamentos
É da nossa natureza humana sermos assim.

E sempre existirá infelizmente estas pessoas
Que nos fazem ser anjos
Ou demônios.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Aprendiz

É tudo que posso definir de mim.
Sou aprendiz a todo instante, em cada movimento,
Em cada momento, tudo é diferente.

Só sei das coisas que vejo.
Só falo das coisas que sei,
Repasso coisas que concordo,
Mas tomando o cuidado para não influenciar ninguém.

Porque cada um sabe qual a sua verdade adequada.
Ninguém precisaria que outros lhes impusessem as suas.
Cada um vê e interpreta seu mundo a sua maneira.

Somos aprendizes, até quando aceitamos verdades escritas,
Ou faladas por outros que se dizem sábios,
Mas que na maioria das vezes, concluimos
Não servem para nosso aprendizado.
Mesmo concordando com várias teorias
Questiono verdades daquilo que não posso ver.

Sou aprendiz agora, daqui há instantes,
E fui também desde que nasci,
Nunca deixarei de ser.

Porque é só o que  a vida pode nos dar,
Conhecimentos, aprendizados para que sejamos,
Tudo o que desejarmos ser,
E marcar assim, nossa passagem,
Por um mundo repleto de mistérios,
Que nos fará aprendizes eternos,
Em cada respiração, em cada centelha de luz,
Em todas as formas, em todos as situações,
Aprendiz de tudo, de sempre.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Ao Amor que não encontrei....

Será que foi naquela festa que não fui?
Será naquele dia que na aula faltei?
Será naquela rua que não atravessei?
Será naquele ônibus em que não entrei?


Ou naquela trilha que não fiz,
Na montanha que não escalei, 
Na árvore que não subi, por isso não vi....

Naquele beijo que recusei,
Naquele perdão que não dei,
Naquele momento que me resguardei...

Tem que ter uma explicação,
Que momento não te achei,
Não me achaste,
Não nos encontramos,
Extraviamos?

Ou, ainda não foi a hora,
E continuo a te buscar,
Nas festas, nas ruas, nas trilhas,
Em algum lugar que ainda vá passar.

Se não, vou ter a  certeza absoluta,
Que passamos lado a lado,
Procurando, nem percebendo,
Que bem perto a gente estava,
Mas buscando em outra direção.



segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Quem espera....

Como esperar sem saber o que se espera,
O ideal seria nunca ter que esperar por nada e nem por ninguém
A espera incomoda, anseia por urgência.
E o objeto ou pessoa aguardada, pode não estar disponível,
no momento em que mais desejamos e precisamos.

Há pessoas que esperam a vida inteira e nem se importam,
levam consigo a certeza que é melhor ter o que esperar.
Mas quem espera às vezes também se desespera,
e cobra do objeto esperado a mesma consideração.

Um sentimento profundo de impotência é normal em casos assim.
Não ter a certeza, provoca desespero.
E isto não é bom.
Melhor mesmo nunca ter de esperar por nada.
Deixar o acaso trazer e agradecer o que nos veio.
E que por acaso era o que esperávamos, ou não.
Não tem importância.
A vida só nos traz o que  nós mesmo procuramos,
e temos que ter certeza que não estamos procurando ou esperando, inutilmente ou em vão.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Música

A melhor invenção do mundo,
Nunca vamos saber quem a inventou,
Talvez por um  acaso, 
Alguém permitiu que a alma se elevasse,
E transformasse o sentimento que sentia em som, 
Um som que não era apenas palavras,
Uma forma de expressão mais leve, mais doce,
Para mostrar alegria, ou mesmo lamento,
Em batidas rápidas ou lentas, uma manifestação,
Um momento de distração em forma de música.

Não conheço alguém que não goste de música,
Ela tem o dom de substituir nossos mais diferentes tipos de humor.
Existe para que saiamos de vez em quando do nosso mundinho,
E entremos em outro, onde há sons, melodias, letras , idéias,
Que falam por si só dos nossos sentimentos.

Há quem diga que música é o bálsamo da alma,
Nem poderia ser diferente, ela nos faz sentir bem,
Ela marca momentos, pessoas, traz lembranças,
E não importa, se lembranças boas ou não, 
Música será sempre a melhor parte do que a vida tem a oferecer,
Por ser natural, sem fronteiras, tão excepcional,
Que consegue unir, toda uma humanidade.
    
"Sem a música, a vida seria um erro" (F. Nietzsche)



sábado, 3 de setembro de 2011

Reflexos

Sei que quando me vejo, procuro ver apenas o que imagino de mim.
Temos o dom de nos iludir até com nossa própria realidade.
Vejo uma pessoa que apenas finge ser eu mesma.
O reflexo de uma ilusão.

Sei que aquela no espelho é casca.
Eu não sou aquela que vejo
Sou outra bem diferente, mas que se esconde
Não se mostra, tem medo.

Tenho medo  que possam não compreender
Os pensamentos que estão bem escondidos .
Dentro daquela que se mostra no espelho.

Não somos transparentes, podemos então ser o que quisermos.
O espelho mostra o que nós queremos que os outros vejam.
Nossos segredos estão bem escondidos.
Melhor que seja assim.

Porque espelho mostra que às vezes dispensamos máscaras
Temos apenas que representar, de cara limpa.
A personagem que escolhemos,
Para apresentar no palco da vida.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Paul Mauriat - Day By Day

Filha da Terra

Sou filha da terra
Pertenço a este chão, não sei até quando
De onde vim, não meu corpo físico, mas o meu Eu , não sei
Sei que certos mistérios fazem parte da mágica de viver.

Procuro viver conforme minhas verdades
Verdades que incluem tentar não ferir ou magoar alguém
Respeitar todos os seres vivos que vivem no mesmo universo
Porque sei, possuem o mesmo direito que eu de estarem aqui.

Faço parte de uma  geração menos tecnológica
Com infância vivida a céu aberto
Subir em árvores, tomar chuva sentindo o pé na enxurrada
Brincar na rua sem nenhum temor.

Como filha da terra, sei que ela sofre agressões
E que não posso fazer nada além de protestar
Porque enquanto não houver total conscientização
Ela vai sofrer nas mãos de poderosos que não se preocupam com seu destino.

É uma pena que a  atual geração não vai ter o que tive
Árvores, cheiro de mato, ar puro e liberdade
Vivem hoje, presos, como se tivessem que pagar por um crime que não cometeram, porque foi esta a herança que as gerações mais antigas lhes deixaram.

A maioria dos seus conhecimentos vem da máquina, que é o que puderam lhes deixar.Uma vez que exterminaram quase todas as matas, todas as chances de descobrirem por si só, o que a natureza tão sabiamente nos ensina.

Sou filha da terra, gostaria de nunca esquecer e prestar atenção em cada chão que piso, cada inseto que vejo passando, seguindo sua vida.
Em todas as criaturas,inclusive as escravizadas ou usadas para qualquer divertimento cruel.
Porque os homens ainda não perceberam, elas são parte da natureza, agredi-las é como agredir ao planeta como um todo, porque estamos todos interligados.

Como filha da terra, vejo outros filhos da terra negarem sua origem, e acharem que estão acima de tudo, mas enganam-se e verão um dia o tanto que ela os acolheu e alimentou apesar de tanta injustiça e ingratidão.

Sou filha da terra, habitante deste planeta, num universo infinito, poeira .
Porém, consciente que posso fazer a diferença com minhas atitudes, porque sei, existirão mais filhos e filhas preocupados com este chão, com tudo que nele habita,e que gostaríamos de ver preservado, para que a nova geração não tenha que conviver futuramento apenas com aços e máquinas.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Vazio

Como se de repente
Eu perdesse meu chão
Vivo em extremos
Queria ser mais leve
Olhar a vida sem medo
Amar sem medo

Mas não consigo suportar a dor
Dor de outros e minhas
Tudo me  afeta
Todo o sofrimento
Como ser feliz então
Se ao lado alguém sofre
Como sorrir
Se ao lado alguém chora

Viver é arriscar
Arriscar acertar, errar
Sofrer, sorrir
Mas só esperamos
Que ela nos dê a parte boa
Senão, reclamamos
Por ser tão injusta.

Mas é injusta a vida?
A vida é somente a vida
Com todos as suas consequências
E inconsequências...

sábado, 20 de agosto de 2011

Névoa

Ela faz parte de mim
Cobre, me envolve
Porque assim eu quis

Não chegue muito perto
Fique no seu espaço
Este é meu, está marcado
Envolto em névoas
Que eu mesma criei

Fique, não precisa
Não quero mais ninguém
Ou alguém, já tenho o suficiente
Se é que isto possa existir
Mas simplesmente eu não quero mais.

Não consigo mais acompanhar
Todos os recantos e encantos
Desencantos e desencontros
De uma nova relação
Seja de amizade, ou de amor
Fico com que já tenho
Não preciso de mais nada
Para mim acabou.

Quero mergulhar e reviver
De tudo que já tenho
Procurar, buscar
Tentar de novo
Desfazer as névoas
E ver com clareza
O que ainda não sei.



sábado, 13 de agosto de 2011

Sol e Mar

Aparando as arestas do que ficou
Algo que poderia ter permanecido
Acabou - só uma lembrança.

Tormenta - uma tempestade no mar
Luz - sol em céu sem nuvens

Fosse um sonho
e a tempestade abalando 
em meu mar de emoções
Fazendo-me tremer, estremecer , diluir
E sol fazendo brilhar, ofuscar, irradiar.

Mas não posso deixar
Que minhas emoções se transformem em calmaria
Não posso permitir que minha luz se apague.

Preciso prosseguir
Buscar outros mares
Outro sol
Novamente estremecer
Novamente brilhar.

E unir, sol e mar.







terça-feira, 9 de agosto de 2011

Inferno Astral


Uma certa melancolia
Vem não sei de onde
E nem sei porquê

Sempre nesta mesma época
As emoções afloram
Vem a tona
As angústias
Os medos
As incertezas

Do que o futuro trará
Amanhã, ou depois
Não importa
A expectativa
Como se algo fosse acabar
Agora 
Ou depois

Quase todos se sentem assim
Até quem não acredita
Nos poderes dos astros
Fingem que não
Mas ficam também
Melancólicos
Angustiados 

Procuro não me preocupar
É só uma data
Depois tudo se acalma
Quando percebemos
Passou mais um ano
No nosso calendário

Sobrevivemos.


domingo, 31 de julho de 2011


Uma noite de lua pálida e gerânios ele viria com boca e mãos incríveis tocar flauta no jardim.
Estou no começo do meu desespero e só vejo dois caminhos:
ou viro doida ou viro santa.
Eu que rejeito e exprobo
o que não for natural como sangue e veias,
descubro que estou chorando todo dia,
os cabelos entristecidos
a pele assaltada de indecisão.
Quando ele vier, porque é certo que vem,
de que modo vou chegar ao balcão sem juventude?
a lua, os gerânios e ele serão os mesmos,
só a mulher entre as coisas envelhece.
De que modo vou abrir a janela, se não for doida?
como a fecharei, se não for santa?
                                                         (Adélia Prado)

domingo, 24 de julho de 2011

Palavras do gótico Fernando Pessoa

Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso, viver não é preciso."
Quero para mim o espírito desta frase, transformada a forma para casar com o que sou; viver não é necessário, o que é necessário é criar. Não conto gozar a minha vida; nem gozá-la penso. Só quero torná-la grande, ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a (minha alma) a lenha desse fogo. Só quero torná-la de toda a humanidade; ainda que para isso tenha de a perder como minha. Cada vez mais assim penso. Cada vez mais ponho na essência anímica do meu sangue o propósito impessoal de engrandecer a pátria e contribuir para a evolução da humanidade. É a forma que em mim tomou o misticismo da nossa raça.


sexta-feira, 22 de julho de 2011

Como queria estar agora, leve, solta, num mar de calma e suavidade, mas sinto-me como um ramo enroscado em pedras e obstáculos que não me deixam seguir o rumo natural.
Sei que em algum momento vou  conseguir sair, mas até lá, vou estar tentando entender porque situações que não procurei ou provoquei me fizeram chegar até aqui.

Amigos

Nunca fui de muitos amigos
Sempre foram muito poucos
Em cada tempo da minha vida
Um amigo ou amiga, talvez dois
O suficiente para que não estivesse totalmente só.

Amigos às vezes são, às vezes estão
Só saberemos muito tempo depois
Quando aquele período passar
E em nova situação
Os que restaram , ou o que restou
De uma amizade que prometia ser eterna.

Somos como imãs. E as vezes funcionamos ao contrário.
Muitas vezes, atraimos ou repelimos e nunca entendemos porquê.
Estrelas, todos somos.
Só que muitos ainda  preferem transitar ao redor de outras
Como  cometas que passam, mas nunca permanecem
Rodeiam apenas  enquanto for conveniente
Para seus propósitos definidos.

Certos artistas acham que fãs são amigos
Mas um fã assassinou seu ídolo.
Chefes exigem que subordinados sejam seus amigos
Pais tem certeza que irmãos também tenham que ser.

Mas amigos tem um quê de especial
Não precisa estar sempre junto
Só precisa existir
E quando você precisar que alguém se importe
Com a sua alegria, sua tristeza ou sua dor,
Lá vai estar seu amigo.

Já me enganei muito, todos se enganam
Porque não é fácil reconhecer um amigo
Às vezes leva algum tempo para perceber
Às vezes é no mesmo instante em que o vê.
Nestes caos, são encontro de almas
A melhor forma de encontrar um amigo.

Sei que hoje posso ver o que não via antes
Amigos são os que te olham por dentro
E gostam do que veem
Não se importam com a estampa
Só com o conteúdo do seu ser.
Este é aquele que não está
Mas sendo realmente
Seu verdadeiro amigo.

sábado, 9 de julho de 2011

O Adolescente

A vida é tão bela que chega a dar medo.

Não o medo que paralisa e gela,
estátua súbita, 
mas
esse medo fascinante e fremente de curiosidade que faz
o jovem felino seguir para a frente farejando o vento
ao sair, a primeira vez da gruta.

Medo que ofusca: luz!

Cumplicentemente,
as folhas contam-te um segredo
velho como o mundo:

Adolescente, olha! A vida é nova...
A vida é nova e anda nua
- vestida apenas com o teu desejo!
  
(Mario Quintana)

terça-feira, 5 de julho de 2011

Época sombria...

Há muitas histórias e escritos sobre a época de obscurantismo chamado "Governo Militar" no Brasil. Muitas vozes e vidas inteligentes sucumbiram pelos instrumentos de tortura por aqueles que diziam estar defendendo o país do "comunismo". Um dos relatos de uma das vítimas me tocou particularmente por causa da intensidade com que questiona o poder, a vida  e a fé do ser humano.
"Mãe, você me pergunta se eu acredito em Deus.
Eu te pergunto: que Deus?
Tem sido minha missão te mostrar Deus no homem.
Pois somente no homem ele pode existir.
Não há homem pobre ou  insignificante que pareça ser, que não tenha uma missão.
Todo homem, por si só, influencia a natureza do futuro.
Através de nossas vidas, nós criamos ações; que resultam na multiplicação de reações.
Esse poder, que todos nós possuimos, esse poder de mudar o curso da história é o poder de Deus.
Confrontado com essa responsabilidade divina, eu me curvo diante do deus dentro de mim."

(Stuart Edgard Angel Jones) 

                                             (Carta a Zuzu Angel)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Simplesmente Clarice...

Clarice sabia como ninguém, se rasgar com palavras, muitas que gostaríamos de dizer e  só ela sabia como.
Ela não tinha medo, e as palavras fluiam, como a força das águas na correnteza. Ela era uma mulher que soube expor todos os seus medos, anseio, solidão e medo na sua literatura. E era ótima nisso. Imagino que talentos traz  a se revelar assim, Inconfundível.
Esta autocrítica que temos mas que ninguém soube colocar como ela.
Ou ela ou suas personagens, não importa, Clarice era  portadora de sentimentos e sensações muito comuns a qualquer um de nós. Nossa porta-voz.
Nunca conseguimos nos definir, mas vivemos tentando
Clarice desvendou nosso mistério.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Fotos Tristes


Hoje perguntaram por que pareço triste nas fotos  
Corri olhar todas, porque a pessoa nem me conhece pessoalmente
Será que encontraria alguma para desfazer  o engano?
E achei  todas igualmente tristes.

A tristeza está na alma
Reflete nos olhos, no semblante, no sorriso
Embora não queira demonstrar
Ela está lá, sempre esteve, não vai sair

Talvez já tenha nascido com ela
E era tanta que ocultava até a alegria
Que ficava bem escondida
Nem se mostrava
Também nem tinha porquê.

E esta tristeza que carrego comigo
Hoje definiria como consequências
Pedaços e lembranças do que vivi
E o que sou e o que vejo
Cada vez mais me fazem sentir
Que o lado escuro é mais forte
E  a luz, ainda não conseguiu
Tomar conta da minha alma.








sábado, 25 de junho de 2011

Caio Fernando Abreu



“Tinha esquecido o perigo que é colocar o seu coração nas mãos do outro e dizer: toma, faz o que quiser.”
“Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros.”
“Repito sempre: sossega, sossega – o amor não é para o teu bico.”
“Não se engane comigo, é na bagunça que eu me arrumo.”
“Sempre há alguma coisa que falta. Guarde isso sem dor. Embora, em segredo, doa.”
“E me dá uma saudade irracional de você.”
“Venha quando quiser, ligue, chame, escreva – tem espaço na casa e no coração, só não se perca de mim.”
Quando você não tem amor, você ainda tem as estradas.”




“…e essa falta cresce à cada dia, de forma avassaladora…quando enfim penso que estou me acostumando, que estou te esquecendo,
você ressurge de forma inesperada ocupando todos os espaços, transbordando de

dentro de mim... e é nessa inconstante loucura que vivo sem te ter.”


Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada “impulso vital”. Pois esse impulso é, às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como ‘estou contente outra vez’
…” 

“Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida me enfia goela abaixo. A lamber o chão dos palácios. A me sentir desprezado-como-um-cão e tudo bem, acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar.”

“Sempre há alguma coisa que falta. Guarde isso sem dor. Embora, em segredo,doa.”

“Tem olhos hipnóticos, quase diabólicos. E a gente sente que ela não espera mais nada de nada nem de ninguém, que está absolutamente sozinha e numa altura tal que ninguém jamais conseguirá alcançá-la.”

“Amigos não ’são para essas coisas’, não. Isso é um clichê detestável, significando quase sempre que amigo é saco de pancadas, é uma espécie de privada onde o outro pode jogar objetos, detritos imundos e dar descarga. Amigos são para dividir o bem e o mal, mas também para deixarem as coisas sempre limpas entre eles – amigos devem ser solidários. Um dos meus maiores amigos, [...], que vive em Paris há quase 30 anos e é soropositivo há 9 (mas graças a Deus saudabilíssimo), tem sempre a preocupação de ser útil aos amigos. Quase não fala, não envia flores, não escreve cartas – mas quando procurado está sempre ali, firme e cheio de informações práticas para ajudar a gente. Amigos são também para escrever cartas enormes e um tanto idiotas como esta, cheia de carências, porque gostam de outros amigos e não querem que as relações de amizade tombem nesse poço nojento de brutalidade e vulgaridade que viraram os anos 90″

"... Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio. Não compreendo como querer o outro possa pintar como saída de nossa solidão fatal. Mentira: compreendo, sim. Mesmo consciente de que nasci sozinho do útero de minha mãe, berrando de pavor para o mundo insano, e que embarcarei sozinho num caixão rumo a sei lá o quê, além do pó. O que ou quem cruzo esses dois portos gelados da solidão é vera viagem: véu de maya, ilusão, passatempo. E exigimos o eterno do perecível, loucos".

"Não, você não sabe, você não sabe como tentei me interessar pelo desinteressantíssimo"


"Tenho a impressão que a vida, as coisas foram me levando. Levando em frente, levando embora, levando aos trancos, de qualquer jeito. Sem se importarem se eu não queria mais ir. Agora olho em volta e não tenho certeza se gostaria mesmo de estar aqui."


"Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente?
Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido."


"Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina."


"Não choro mais. Na verdade, nem sequer entendo porque digo mais, se não estou certo se alguma vez chorei. Acho que sim, um dia. Quando havia dor. Agora só resta uma coisa seca. Dentro, fora."

"Não sei, deixo rolar. Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo."


"As minhas verdades me bastam, mesmo sendo mentiras."

"Penso: quando você não tem amor, você ainda tem as estradas."

"Não espero nenhum olhar, não espero nenhum gesto, não espero nenhuma cantiga de ninar. Por isso estou vivo. Pela minha absoluta desesperança, meu coração bate ainda mais forte. Quando não se tem mais nada a perder, só se tem a ganhar.
Quando se pára de pedir, a gente está pronto para começar a receber. O futuro é um abismo escuro, mas pouco importa onde terminará a minha queda. De qualquer forma, um dia seremos poeira. Quem é você? Quem sou eu? Sei apenas que navegamos no mesmo barco furado, e nosso porto é desconhecido. Você tem seus jeitos de tentar. Eu tenho os meus. Não acredito nos seus, talvez também não acredite nos meus próprios. Não lhe peço que acredite em mim".

"É preciso estar distraído e não esperando absolutamente nada. Não há nada a ser esperado. Nem desesperado."

"...por que, então, cultivar roseiras se, quando tudo está crescido, é nelas que você se corta?"

gosto de pessoas doces, gosto de situações claras - e por tudo isso ando cada vez mais só."

'eu não sabia, eu morria, eu nascia sucessivamente, em desespero, eu compreendia súbito. Não, não era amor. Era terror.'

"Seja como for, continuo gostando muito de você - da mesma forma -, você está quase sempre perto de mim, quase sempre presente em memórias, lembranças, estórias que conto às vezes, saudade..."

"Não é verdade que as pessoas se repitam. O que se repetem são as situações"

" Somos inocentes em pensar, que sentimentos são coisas passíveis de serem controladas. Eles simplesmente vêm e vão, não batem na porta, não pedem licença. Invadem, machucam, alegram (...) "