sexta-feira, 1 de julho de 2011

Simplesmente Clarice...

Clarice sabia como ninguém, se rasgar com palavras, muitas que gostaríamos de dizer e  só ela sabia como.
Ela não tinha medo, e as palavras fluiam, como a força das águas na correnteza. Ela era uma mulher que soube expor todos os seus medos, anseio, solidão e medo na sua literatura. E era ótima nisso. Imagino que talentos traz  a se revelar assim, Inconfundível.
Esta autocrítica que temos mas que ninguém soube colocar como ela.
Ou ela ou suas personagens, não importa, Clarice era  portadora de sentimentos e sensações muito comuns a qualquer um de nós. Nossa porta-voz.
Nunca conseguimos nos definir, mas vivemos tentando
Clarice desvendou nosso mistério.

Nenhum comentário: