sexta-feira, 22 de julho de 2011

Amigos

Nunca fui de muitos amigos
Sempre foram muito poucos
Em cada tempo da minha vida
Um amigo ou amiga, talvez dois
O suficiente para que não estivesse totalmente só.

Amigos às vezes são, às vezes estão
Só saberemos muito tempo depois
Quando aquele período passar
E em nova situação
Os que restaram , ou o que restou
De uma amizade que prometia ser eterna.

Somos como imãs. E as vezes funcionamos ao contrário.
Muitas vezes, atraimos ou repelimos e nunca entendemos porquê.
Estrelas, todos somos.
Só que muitos ainda  preferem transitar ao redor de outras
Como  cometas que passam, mas nunca permanecem
Rodeiam apenas  enquanto for conveniente
Para seus propósitos definidos.

Certos artistas acham que fãs são amigos
Mas um fã assassinou seu ídolo.
Chefes exigem que subordinados sejam seus amigos
Pais tem certeza que irmãos também tenham que ser.

Mas amigos tem um quê de especial
Não precisa estar sempre junto
Só precisa existir
E quando você precisar que alguém se importe
Com a sua alegria, sua tristeza ou sua dor,
Lá vai estar seu amigo.

Já me enganei muito, todos se enganam
Porque não é fácil reconhecer um amigo
Às vezes leva algum tempo para perceber
Às vezes é no mesmo instante em que o vê.
Nestes caos, são encontro de almas
A melhor forma de encontrar um amigo.

Sei que hoje posso ver o que não via antes
Amigos são os que te olham por dentro
E gostam do que veem
Não se importam com a estampa
Só com o conteúdo do seu ser.
Este é aquele que não está
Mas sendo realmente
Seu verdadeiro amigo.

Um comentário:

Adriana disse...

nossa amiga, que lindo!!