domingo, 4 de julho de 2010

E POR QUE NÃO FALAR DO MICHAEL?

Ele fez a trilha sonora de grande parte da minha vida.
Começou a cantar e dançar aos cinco anos de idade, iniciando a carreira profissional aos onze anos como vocalista do Jackson5 e carreira solo a partir de 197l.
Foi apelidado de Rei do Pop (King of Pop), não sem razão.Foi o maior ícone negro de todos os tempos na sua área. E quem pode desprezar a beleza de uma canção e seu conteúdo  como "Earth Song", ou sua  performance como bailarino em "MoonWalk".
Não vamos julgar o homem, apenas o mito. Depois atire a primeira pedra quem não tem seus pecadinhos, ou algum segredinho escabroso na vida. A diferença é que todos os atos do Michael eram divulgados, expostos, em virtude de sua fama . Nós míseros desconhecidos podemos ter manias até pior. Só que não somos famosos como ele era e ninguém nunca iria  saber.
O que víamos?
Alguém que teve alguns acidentes em virtude do trabalho, sofreu pressão psicológicas e tentou perseguir o ideal de beleza que talvez para ele fosse muito importante apesar de ser e ter tudo.
Quando vejo vídeos de Michael, vejo o talento nato, o trabalho, e  a preocupação de que tudo saísse na maior absoluta perfeição. Não preciso mais que isso para admira-lo. Sua preocupação com a natureza e o destino do planeta, apesar de vários artistas também terem, em Michael ficava mais convincente. Porque ele não precisava levantar nenhuma bandeira. Ele era o próprio símbolo da luta com seus fantasmas interiores e exteriores, fantasmas que só ele podia saber o que eram. Como nós sabemos dos nossos.

Nenhum comentário: