sábado, 15 de janeiro de 2011

Última Primavera

Passou o trem e com ele, as malas
Passou o vento pelo redor das salas
Passou a safra e o melhor vinho
No gosto amargo de estar sozinho
No canto escuro de um coração
Passou a fé e a compaixão
Passou enfim, também pudera
Pela alma, a última primavera
     (Etrusco)

Nenhum comentário:

APENAS A NOITE

Mundo estranho este, virou tudo de cabeça para baixo. Não conhecemos mais quase ninguém. Máscaras caíram e só restou as cascas, podres...