quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A MORTE DO MEU PAI

Meu pai, de repente, de todos os aposentos
partiu para suas estranhas lonjuras.

Ele partiu para chamar seu Deus
para que nos viesse ajudar agora.

E Deus já chegou, como um
operário servente
e pendurou seu casaco num prego da lua.

Mas nosso pai, que foi buscá-lo,
Deus o guardará para sempre
consigo.

      (Iehuda Amikhai) Tradução de
                Cecília Meireles.

Nenhum comentário: